Alexa
CONTATO: (31)3646.2330 | WHATSAPP: (31) 9960.8282
Dr Daniel Borges Plástica

Hiperidrose, saiba mais sobre a doença e possíveis tratamentos

Por: | 15 de junho de 2018

Nos dias mais quentes do verão, assim como durante a prática de atividade física, é normal suarmos e deixar a roupa marcada, principalmente na região das axilas. Mas e quando esse suor é excessivo?

A hiperidrose é uma doença que pode acometer homens e mulheres, geralmente a partir dos 18 anos.

Como o suor ocorre de forma mais intensa, é normal alguns pacientes se queixarem de um certo embaraço no convívio social. De fato, pode gerar constrangimento chegar a um ambiente com a roupa toda molhada de suor, mesmo em dias frios, por exemplo.

Quer saber mais sobre a hiperidrose e os possíveis tratamentos? Confira este artigo que preparamos!

O que é hiperidrose?

A hiperidrose é uma doença que causa uma atividade mais acelerada nas glândulas sudoríparas. Este suor excessivo, geralmente ocorre em regiões específicas, como axilas, pés, mãos e rosto.

Estima-se que a hiperidrose afete cerca de 2,8% da população, e está relacionada com questões genéticas na maioria dos casos. Porém, é importante ressaltar que a doença também pode surgir de causas emocionais, e até mesmo devido ao uso de alguns medicamentos.

Por isso, uma avaliação médica é fundamental para identificar o problema e entrar com o tratamento correto.

 

Fator emocional

O grande problema de quem sofre de hiperidrose está na questão do desconforto físico e emocional. O suor excessivo atrapalha o cotidiano de maneira geral, marcando as roupas na região da axila e causando aquela má impressão.

Mesmo em uma sala climatizada, com temperatura agradável, a pessoa que sofre de hiperidrose pode suar excessivamente. E é isso o que mais incomoda os pacientes.

Alguns evitam cumprimentar as pessoas devido ao suor no rosto e nas mãos, e ficam até se desculpando pelo ocorrido.

 

Tratamento ideal para hiperidrose

Existem alguns tratamentos para lidar com a hiperidrose, desde os métodos mais simples, como o uso de cremes e antitranspirantes, até cirurgias de remoção das glândulas sudoríparas. Porém, esta, como se trata de uma cirurgia invasiva, nem sempre é considerada a melhor opção.

Com o avanço da medicina moderna, alguns tratamentos estéticos proporcionam um resultado muito satisfatório para os casos de  hiperidrose.

 

Uso toxina botulínica no tratamento da hiperidrose

Um dos tratamentos que tem se destacado para quem sofre de hiperidrose é a aplicação de toxina botulínica. 

Além de ser um procedimento simples, não é invasivo e permite que o paciente tenha alta no mesmo dia.

O primeiro passo é o cirurgião plástico fazer um teste utilizando solução iodada na região onde receberá a aplicação. É aplicado também amido com o intuito de verificar onde estão os pontos com mais suor.

 

 A aplicação dói?

As agulhas utilizadas no tratamento de hiperidrose com toxina botulínica são bem fininhas. Além disso, o especialista utiliza um creme anestésico antes para que o paciente faça o procedimento com maior tranquilidade.

O objetivo da aplicação de toxina botulínica é paralisar o nervo responsável pela sudorese, aliviando assim os sintomas do paciente.

É um procedimento simples, leva em média 30 minutos. O paciente começa a notar os efeitos em duas semanas.

Vale lembrar que a aplicação de toxina botulínica tem duração média de até seis meses, sendo o retorno do suor lento e gradual.

Depois do procedimento, o paciente poderá notar a região mais inchada e sentir um leve incômodo, mas que passa no decorrer de alguns dias.

O resultado é uma vida mais tranquila, sem passar pelo constrangimento de ter as roupas marcadas de suor, e ainda evitar cumprimentar as pessoas no convívio social.

 

Quer esclarecer outras dúvidas sobre o tratamento de hiperidrose com toxina botulínica? Entre em contato com a nossa equipe e agende uma consulta.

 

Nosso telefone é o (31) 3646-2330, ou se preferir envie um WhatsApp (31) 9960.8282. Estamos localizados na Av. do Contorno, 4747, LifeCenter, Sala 1113 – 30110-090 – Belo Horizonte.

 

Converse comigo