Alexa
CONTATO: (31) 3586-2246 | WHATSAPP: (31) 99960.8282
Dr Daniel Borges

Moda, selfie e cirurgia plástica: como elas se relacionam?

Por: | 17 de junho de 2015

Selfie é uma das gírias mais utilizadas no momento. Ela significa auto-foto – ou seja, a ação de tirar uma foto de si mesmo, sem a ajuda de uma outra pessoa. A prática da selfie, que por muito tempo foi ignorada por seu ângulo desfavorável, é hoje uma febre entre jovens e adultos que querem registrar sua melhor imagem em algum momento da sua rotina.

Alguns especialistas acreditam que a busca pela selfie perfeita pode ter aumentado a procura de pacientes por correções de imperfeições no rosto e no corpo, movimentando o mercado da medicina estética. Mas será que a moda das selfies é capaz de influenciar na procura por esses prodecimentos cirúrgicos?

Aumento da procura por cirurgias estéticas

O Brasil é o segundo país do mundo que mais realiza cirurgias plásticas, ficando somente atrás dos Estados Unidos no número de procedimentos realizados anualmente. A busca por correção das imperfeições por brasileiros vem crescendo bastante nos últimos anos e, de maneira surpreendente, o ano de 2013 parece ter registrado um marco na história da cirurgia plástica no país: o mercado registrou um aumento de 141% nos procedimentos realizados em relação aos números de 2012.

O motivo desse aumento? Muitas pessoas acreditam que possa existir uma relação com o começo da febre das selfies e da constante exposição da própria imagem em redes sociais. As pessoas querem aparentar e ficar mais bonitas para as fotos e, dessa maneira, acabam optando por corrigir aquelas pequenas falhas no corpo que não lhes agradam.

As selfies expõem os defeitos

Não existe problema nenhum em corrigir alguma parte do corpo que causa incômodo ou insegurança. Porém, muitas pessoas não conseguem perceber que a própria selfie é capaz de reforçar defeitos no nosso rosto ou corpo que jamais havíamos percebido antes.

O ângulo distorcido que esse tipo de registro de imagem proporciona pode valorizar o desequilíbrio das imagens do nariz, da testa e até mesmo do nosso volume de cabelo. Por isso, para tirar a melhor selfie, nem sempre é necessário realizar um ajuste cirúrgico em alguma região do corpo – basta entender como é possível valorizar o seu melhor ângulo.

Cirurgias estéticas devem melhorar a auto-estima

Cirurgiões plásticos acreditam que a medicina estética deve ser usada como uma alternativa para melhorar a auto-estima e a harmonia entre os segmentos de todo o corpo. Por isso, esse ramo da cirurgia pode ser muito importante para ajudar pessoas que sofrem com defeitos ou que se incomodam com a própria imagem.

Apesar disso, a decisão de tratar ou não um defeito corporal deve ser avaliada pelo paciente e seu cirurgião plástico em conjunto, para que possam ser buscadas as melhores alternativas possíveis para a realização dessa técnica. A escolha, entretanto, não deve se basear em imagens produzidas por selfies ou expostas nas redes sociais.

O excesso de exposição preocupa médicos e outros profissionais

A constante divulgação e exposição da própria imagem tem preocupado profissionais da área da saúde que trabalham diretamente com o ramo da estética, já que a busca pelo visual perfeito não existe. É preciso entender que a beleza não é definida somente por padrões definidos pela mídia e que a sociedade precisa reaprender a avaliar esses conceitos para não virar vítima da febre das selfies.

Você tem pensado em realizar algum tipo de cirurgia estética para corrigir alguma parte do corpo que não agrada? Que tal conversar com um profissional sobre as melhores alternativas para você? Deixe seu comentário e entre em contato conosco!